Busca no site:
MEDICINA VETERINÁRIA
ISSN: 1679-7353
 
4º Edição Janeiro de 2005

ISSN: 1679-7353

Apresentação

 

O Código de ética profissional do médico veterinário, aprovado pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária, desde 23 de outubro de 1968, já destaca, em seu artigo primeiro, que um dos deveres fundamentais do veterinário é a necessidade do profissional da área se “atualizar e ampliar seus conhecimentos profissionais e sua cultura geral, tendo em vista o interesse pelo bem público e a efetiva prestação de serviços à humanidade”. Este e outros deveres fundamentais do Médico Veterinário exigem, porém, uma constante prática e persistente atenção para que façam parte de maneira natural da vida de cada um desses profissionais. Também é certo que o exercício efetivo dessas práticas inicia-se na Faculdade.

 

Com o lançamento de mais este número da Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária, e, portanto, a manutenção rigorosa da periodicidade desse veículo de divulgação científica, temos ido muito além dessa prática. Estamos possibilitando que a tradição da pesquisa crie indivíduos realmente sensíveis às múltiplas obrigações cotidianas que a ele se apresentam, o que significa, em outras palavras, não só atualizar-se, mas estar à frente dos novos conhecimentos profissionais que sua carreira exige.

Ressaltamos este aspecto, nesta quarta edição, pois é cada vez mais intensa a participação de trabalhos de alunos entre os selecionados pelo Conselho Editorial da Revista. Muitos deles, inclusive, trabalhos de nossos próprios alunos. Estes trabalhos, orientados por professores da FAMED, a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Garça, e iniciados logo cedo com o PIC (Programa de Iniciação Científica da FAEF), ganham corpo e se tornam exemplos de atualização constante, levando o curso a resultados como o conceito “A” em todos os critérios de avaliação do MEC, como já ressaltado aqui no nosso último editorial.

 

Mesclado a esses trabalhos, ressalte-se também o crescimento de trabalhos recebidos de profissionais de outras Instituições do país, consolidando mais um dos princípios básicos deste periódico científico, o intercâmbio de informações.

 

Por tudo isso, resta-nos continuar trabalhando para que a pesquisa sempre persista abrindo caminhos e oferecendo novos horizontes à sociedade.

 

 

O Editor

Expediente

 

REVISTA CIENTÍFICA  ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA - ISSN 1679-7353

Publicação Científica  da Faculdade de Medicina e Zootecnia de Garça

Ano II - Número 4 - Janeiro de 2005.

 

MANTENEDORA DA FAEF: ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA/ACEG 

ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR DA ACEG 
Presidente: Wilson Shimizu 
Vice-Presidente: Dayse Maria Alonso Shimizu 
 

DIRETORES E VICE- DIRETORES DAS FACULDADES MANTIDAS PELA ACEG

FAEG - Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais

Dayse Maria Alonso Shimizu e João Batista Resende

FAHU - Faculdade de Ciências Humanas

Dayse Maria Alonso Shimizu e Julia Kawazaki Hori

FASU - Faculdade de Ciências da Saúde

Alessandra de Morais Shimizu e Germano Shimizu

FAMED - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia

Germano Shimizu e Antonio Luiz Scalzo

FAEF - Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal

Carlos Eduardo de Mendonça Otoboni e Jozébio Esteves Gomes

  

COMISSÃO EXECUTIVA

Editor  e Articulista: Prof. Dr. Aroldo José Abreu Pinto

Programação Visual e Desenho: Murillo Michel

Apoio Técnico:  Tarcisio Santos Silva                       

                          Fabricio Tatebe

Secretaria: José Francisco Machado Cuzato

 

CONSELHO EDITORIAL

Prof. Livre Docente Edmundo José de Lucca

Prof. Titular Valêncio José de Matos Campos

Dra. Lisiane de Almeida Martins 
Dr. Jorge Luiz Oliveira Costa - FCAV - UNESP – Jaboticabal/SP
Dra. Maria Inês Lenz Souza - FAMED – Garça
Doutoranda Alda Maria Machado B. Otoboni - UNESP - Botucatu – SP
Doutoranda Adriana Piccinin - UNESP - Jaboticabal - SP
Doutoranda Maria Cecília P. Buschinelli Rino - UNESP – Botucatu/SP
Doutorando Paulo César G. dos Santos- FAMED - Garça
MSc. André Luís Filadelpho - FAMED - Garça
MSc. Osni Alamo Pinheiro Junior - FAMED - Garça

 

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA 
Rua das Flores, 740 - Cx Postal 161 - CEP 17400-000 - Garça/SP - Fone/Fax: (014) 3407-8000  - e-mail: revistaf@faef.br - www.faef.br

 

Normas para Publicação

 

A Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária - Publicação Científica  da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Garça -, mantida pela Associação Cultural e Educacional de Garça, visa divulgar trabalhos originais, voltados para as áreas de conhecimento do âmbito Medicina Veterinária e Zootecnia, na forma de artigos, ensaios, resenhas, resumos, notas técnicas e traduções.


1. Os trabalhos para apreciação poderão ser enviados pela Internet, no endereço revista@faef.br (atentando para o tamanho do arquivo que não deverá ultrapassar 3 Mb, já inclusos tabelas e gráficos) ou via correio (Rua das Flores n.º 740 - Bairro Labienópolis -  CEP: 17400-000 -  Garça/SP) em disquete 3 1/2 (devidamente identificado), gravado em editor de texto Word for Windows. Os textos não devem exceder 20 páginas com as seguintes especificações: página A4, fonte Times New Roman, corpo 12, entrelinha 1,5, com 3cm de margem superior, inferior, esquerda e direita.


2. Informar endereço completo e e-mail para contato futuro.


3. Serão aceitos trabalhos escritos nos seguintes idiomas: espanhol, inglês e português.


4. Apresentação dos trabalhos:
4.1. Página inicial, contendo:
* Título completo do artigo em LETRA MAIÚSCULA.
* Nome completo do(s) autor(es) (por extenso e apenas o SOBRENOME EM MAIÚSCULA).
* Filiação científica na seguinte ordem: Departamento, Instituto ou Faculdade, Universidade - sigla, cidade, estado e país.
4.2. Segunda página, contendo:
* Resumo de, no máximo, 100 palavras e cinco palavras-chave (termos ou expressões que identifiquem o conteúdo do trabalho). O título, o resumo e as palavras-chave deverão ser no idioma do texto.
* Abstract e Key Words.
4.3. Corpo do texto:
* Sub-itens destacados em negrito, no mesmo corpo do texto, alinhados à esquerda.
* Texto contendo INTRODUÇÃO (contendo revisão e literatura), MATERIAS E MÉTODOS  (resultados e discussões), CONCLUSÕES; AGRADECIMENTOS (Opcional) E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.
* Notas de rodapé devem ser, na medida do possível, incluídas no corpo do texto ou apresentadas no final do texto após as referências bibliográficas.
* tabelas e gráficos deverão ser numerados consecutivamente em algarismos arábicos e encabeçados por seus respectivos títulos.
* fotografias e ilustrações poderão ser coloridas e devem ser inseridas no corpo do texto.
* Citações no corpo do texto deverão ser feitas pelo sobrenome do autor, entre parênteses e separado por vírgula da data de publicação Ex: (SILVA, 1984). Caso o nome do autor esteja citado no texto, deverá ser acrescentada a data entre parênteses. Por exemplo, "Silva (1984) aponta ...". Quando for necessário, especificar página(s), que deverá (ão) seguir-se à data, separada(s) por vírgula e precedida(s) de p., sem espaçamento (SILVA, 1984, p.128). As citações de diversas obras de um mesmo autor, publicadas no mesmo ano, deverão ser discriminadas por letras em ordem alfabética, após a data, sem espaçamento (SILVA, 1984a; 1984b). Quando a obra tiver dois autores, ambos deverão ser indicados, ligados por ponto e vírgula (SILVA; SOUZA, 1987). No caso de três ou mais, indica-se o primeiro, seguido da expressão et al. (SILVA et al., 1986).
* Anexos e/ou Apêndices serão incluídos somente quando imprescindíveis à compreensão do texto.
4.4. Referências bibliográficas:
4.4.1. As referências bibliográficas deverão ser arroladas no final do trabalho, pela ordem alfabética do sobrenome do(s) autor(es), obedecendo às normas da ABNT (NBR 6023, de agosto de 2002). Ex: LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1986.


5. Serão publicados os trabalhos aprovados e recomendados por pareceristas das áreas correspondentes.


6. É vedada a reprodução dos trabalhos em outras publicações eletrônicas. Os direitos autorais dos trabalhos aceitos serão cedidos à Revista.


7. Os trabalhos que não estiverem de acordo com estas normas serão devolvidos ao(s) autor(es).


8. Os casos não previstos por estas Normas serão resolvidos pela Conselho Editorial da Revista.


9. Os dados e conceitos emitidos nos trabalhos, bem como a exatidão das referências bibliográficas, são de inteira responsabilidade dos autores.

 

download Actinomicose Em Bovino Da Raça Limousin - (Relato De Caso)
Nivaldo Cesar ALVIM, André Luís FILADELPHO
download Aspectos Epidemiológicos da Babesiose
Canina E Bovina Na Região De Garça Eber Rogério ASSIS , Luiz Humberto Alduini BORGES , Sinval Souto MATTEI , João Marcelo Sancinetti MEIRA , Marcos Kunio MIYAZAWA , Fernando José Delai PARDO , Lisiane Martins ALMEIDA
download Babesiose Canina: Relato de Caso
Ana Angélica Rodrigues CORRÊA , Mariane Vieira NASCIMENTO , Luciana Sandrin FARIA
download Carcinoma De Células Escamosas Em Gato: Relato De Caso
Mariane Vieira NASCIMENTO, Fernando José Delai PARDO SOUZA Jr, Saulo Ednilse D’Amico Galego BISSOLI Jorge Luiz Oliveira Paulo César Gonçalves COSTA SANTOS
download Cistectomia Parcial No Tratamento De Carcinoma De Bexiga Em Cão
Joana Carla Pazzini VALSECCHI , Cristina Mendes Batista COSTA , Jorge Luiz Oliveira COSTA Marcos Kunio MIYAZAWA
download Cistoadenocarcinoma Mamário Em Cão: Relato De Caso
Jorge Luiz Oliveira COSTA, , Paulo César Gonçalves SANTOS , Carolina Campos COPPIETERS , Ana Angélica Rodrigues CORRÊA , Mariane Vieira NASCIMENTO
Correção Cirúrgica Da Persistência Do Frênulo Peniano

 

RESUMO

 

Foi atendido no Hospital Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Garça FAMED/FAEF, um cão da raça Pastor Alemão, com 3 anos de idade, com histórico de fazer a monta na fêmea e não conseguir acasalar, por não fazer exposição completa do pênis e que, no momento da micção urinava como uma fêmea. Na inspeção do pênis e prepúcio pode-se perceber a existência de uma faixa de tecido conjuntivo unindo a ponta do pênis a sua base, impedindo sua exteriorização. Como tratamento promoveu-se a ruptura do frênulo persistente com a tesoura e liberação total do pênis. O procedimento cirúrgico foi rápido, de fácil execução e de resolução imediata. Frente aos dados produzidos pode-se concluir que: a persistência do frênulo peniano é uma anomalia congênita de fácil correção cirúrgica; a correção cirúrgica evita o desenvolvimento de balanopostite secundária; o prognóstico é favorável e apresenta bom resultado a curto prazo.

PALAVRAS-CHAVE: persistência de frênulo; pênis; cães; cirurgia Tema central: Medicina Veterinária

 

 

ABSTRACT

 

It was assisted in the Veterinary Hospital of the Ability of Veterinary Medicine and Zootecnia of Garça FAMED/FAEF, a dog of the race German Shepherd, with 3 years of age, with historical of doing it sets up in the female and not to get to couple, for not doing complete exhibition of the penises and that, in the moment of the urination. In the inspection of the penises and foreskin can be noticed the existence of a strip of conjunctive fabric uniting the point of the penises its base, impeding its externalization. As treatment was promoted the rupture of the persistent frenulum with the scissors and total liberation of the penises. The surgical procedure was fast, of easy execution and of immediate resolution. Front to the produced data can be ended that: the persistence of the frenulum penile is a congenital anomaly of easy surgical correction; the surgical correction avoids the development of secondary balanopostite and; the prognostic is favorable and it presents good short term result.

WORD-KEY: frenulum persistence; penises; dogs; surgery

download Correção Cirúrgica de Entrópio Congênito Em Bovino da Raça Simbrasil
Cristina Mendes Batista COSTA , Jorge Luiz Oliveira COSTA , Nivaldo Cesar ALVIM , Marco Antonio Furlanetto BENTO , Rodrigo VILA NOVA
download Doença Degenerativa Articular Em Equinos
Marcos Kunio MIYAZAWA , Ruberval Donizete SILVA Marcelo Damas PYLES